• +351960008982
  • info@aroconsulting.eu

A era da Geração Millennials


0 comentários

Depois dos baby boomers e da Geração X, é a vez da Geração Y, Geração da Internet ou Geração Millennials, termo criado originalmente pelos norte-americanos William Strauss e Neil Howe, em 1991. Esta geração inclui todos os indivíduos nascidos entre os anos de 1980 e 2000, ou seja, indivíduos que hoje em dia têm entre os 16 e os 36 anos. Esta nova geração apresenta particularidades com impacto no funcionamento da economia, na medida em que se consubstancia num novo perfil de consumidor, mas também de trabalhador. Torna-se, por essa razão, fundamental, conhecer ao pormenor o modo de pensar dos Millennials de forma a tirar o máximo partido das potencialidades que estes novos jovens poderão representar para as empresas e, consequentemente, para a economia nacional.

De seguida apresentamos muito brevemente algumas das características principais desta nova geração:

Menos consumistas: a geração Millennials preferem a experiência à posse material e revela ser mais racional nas suas decisões de compra comparativamente com as gerações que lhe antecedem. Não se deixa atrair por campanhas de fidelização ou por cartões de crédito, privilegiando a satisfação da necessidade imediata.

Geração das experiências: no topo das prioridades destes jovens estão as viagens e a formação. Ter uma casa própria ou um carro são cada vez menos uma prioridade desta nova geração. Mais do que ter, esta geração anseia por experimentar.

Geração da Internet, do digital, do online: os millennials são verdadeiramente os primeiros nativos digitais. Procuram e comparam informação na internet, partilham experiências nas redes sociais e compram cada vez mais em canais de e-commerce.

Geração da partilha: também por força das circunstâncias económico-financeiras que abalaram a economia nestas últimas décadas, esta nova geração opta por cada vez mais por partilhar ao invés de adquirir. Basta lembrarmo-nos que conceitos tão em voga nos dias de hoje como o carsharing e o coworking, por exemplo, surgiram com esta geração.

Geração de aventureiros: esta é também uma geração de indivíduos aventureiros e que anseiam pela mudança, estando sempre à procura de novos desafios profissionais e da mudança em geral. Estes jovens abominam as rotinas e tendem a não ser fiéis às organizações nas quais estão envolvidos.

Preocupação ecológica muito presente: outra das características que esta geração apresenta prende-se com as preocupações com o meio ambiente. Mais do que simplesmente reciclar e reutilizar, estes jovens privilegiam cada vez mais os produtos biológicos e os produtos provenientes da economia local. Tem-se também assistido à emergência dos movimentos vegans e vegetarianos motivados por preocupações ecológicas, bem como ao êxodo de jovens dos centros urbanos para as aldeias, nomeadamente para investir em negócios agrícolas de elevado potencial.

Preocupação com o bem-estar da sociedade em geral: a geração Millennials demonstra grandes preocupações sociais, aderindo cada vez mais a causas sociais e a movimentos de voluntariado. Veja-se o recente movimento de apoio aos refugiados e que é protagonizado sobretudo por indivíduos desta nova geração, demonstrando a sua visão completamente descomplexada e aberta a novas realidades.

Enquanto colaboradores, representam um desafio enorme para as empresas, sobretudo no que diz respeito às políticas de retenção de talento. A aposta na formação contínua, na flexibilidade de horários (incluindo trabalho remoto), o equilíbrio da vida pessoal e profissional, a oferta de um bom pacote salarial e de outros benefícios para além do salário e a perspetiva de progressão na carreira poderão ser fatores cruciais nesta política de retenção do talento. As próprias políticas de recrutamento devem ter em consideração que esta nova geração não se entusiasma com a dimensão, idade ou a reputação de uma empresa. A energia e o bom ambiente de trabalho no seio das organizações são fatores decisivos na hora de escolher as empresas às quais vai concorrer.

Geração de empreendedores, de líderes, de visionários: nunca até hoje se assistiu ao aparecimento de tantas start-ups e jovens empreendedores e visionários que rapidamente se tornam milionários. O espírito de iniciativa e a criatividade são parte da identidade destes jovens.

Tendo bem presentes todos estes fatores, importa repensar a forma como as nossas organizações trabalham hoje em dia, quer na perspetiva de entidades empregadoras, quer na perspetiva de fornecedoras de bens e serviços cujos principais consumidores são hoje e serão amanhã os Millennials.

Artigo de Catarina Pinto, Consultora Sénior para as áreas de Gestão e Estratégia

Deixe uma reação

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>